M

O uso dos temperos na reeducação alimentar

Nysten Macedo      domingo, 6 de novembro de 2016

Compartilhe esta página com seus amigos

A maior dificuldade em emagrecer é a mudança de hábitos. E uma das que mais faz diferença, principalmente para quem tem uma dieta extremamente sem regras é a diminuição do sal.

E quando se descobre doenças relacionadas ao excesso de sal (hipertensão, calculo renal, doenças cardiovasculares), a reeducação alimentar vem com muita força para que todas as dúvidas em relação a diminuição do sódio na alimentação se torne tão essencial.

E como toda mudança mexe com o psicológico de cada um que realmente pretende emagrecer com saúde, o SAL deve ser apenas um coadjuvante nos pratos.

Temperos, condimentos, especiarias, ervas: use e abuse destes elementos nas suas receitas.

Escolher entre ervas secas ou frescas, temperos picantes ou condimentos sofisticados, moídos ou picadinhos… não importa.

Quanto mais natural eles forem, mais natural vai ser o seu prato e sua refeição, em contrapartida, mais saudável.

Os temperos ajudam a aguçar o paladar, dão mais sabor aos alimentos e realçam os sabores.

Os mais utilizados vão ser apresentados neste artigo e ainda mais: uma receita muito prática, para que você possa incrementar a sua cozinha.

TEMPEROS, CONDIMENTOS, ERVAS E ESPECIARIAS

Condimentos e Especiarias na Reeducação Alimentar

Vamos a um ponto bem específico aqui - existem diferenças entre temperos, condimentos e ervas aromáticas:

Temperos - realçam a comida: alho, cebola, sal, etc.

Condimentos - modifica o sabor da comida: mostarda, páprica, curry, etc.

Ervas Aromáticas - dão aroma a comida: salsa, coentro, louro, etc.

Especiarias - enriquecem o sabor da comida: noz-moscada, cravo-da-india, canela, etc.

Para quem está nos primeiros passos da reeducação alimentar, o que mais importa é o estudo destes elementos para a implantação nos pratos.

Você precisa estabelecer uma regra muito clara: a diminuição do sal na alimentação além de ser uma obrigação para uma melhora na sua saúde, vai servir também de um grande aliado para uma refeição com muito mais sabor.

No começo, a mudança vai ser um pouco lenta, mas totalmente adaptável. A sensação de que “opa, eu coloquei sal a mais no meu feijão (rs)!”, vai ser notada com o passar do tempo e se, você puder eliminar de vez a sua utilização a diferença vai ser gritante.

Mesmo porque, o sódio é um mineral importante para a saúde. Ele controla as entradas e saídas de água das células do nosso corpo, onde ele funciona como um regularizador do líquido extracelular, controla o volume de plasma sanguíneo e controla a contração muscular.

DICAS E SUGESTÕES DE USO DE TEMPEROS NA REEDUCAÇÃO ALIMENTAR

Vamos a algumas dicas de como você vai utilizar todos estes elementos em seus pratos. E como eles vão trazer mais sabor.

Os temperos mais usados e que fazem parte da cozinha do povo brasileiro são o alho, a cebola e, logicamente, o sal e este trio parada dura é campeão nos pratos e praticamente incluido em todos eles.

Vamos a uma relação de temperos, condimentos, ervas aromáticas e especiarias que você pode utilizar sempre que for necessário.

Alho: Tudo o que você imaginar ele combina - vale desidratado, fresco, em lascas não importa! Em todos os refogados que você imaginar ele deve comparecer.

Cebola: outro tempero que combina com tudo, mas principalmente com espinafre refogado para fazer molho branco.

Noz moscada: excelente no purê de batata, no molho branco, nas sopas e nos legumes no vapor. O melhor é que essas bolinhas duram muito. Não estragam com facilidade.

Sálvia: excelente na abóbora, em molhos vermelhos, com azeite e alho no macarrão, para temperar o arroz e aves, como frango. Uso sempre a fresca.

Salsinha: combina com praticamente tudo: arroz, feijão, carne seca, xuxu refogado, na salada de batatas, na salada de lentilhas. Fresca ou desidratada, ambas são deliciosas quando colocadas na hora de servir o prato.

Cebolinha: outra que combina com tudo, inclusive na salada verde ou na sopa, no arroz com grão de bico, deve ser colocada sobre a comida na hora de o prato ir para a mesa.

Alecrim: meu tempero predileto, mas confesso que vivo um caso de amor e ódio com ele. Excelente na batata frita ou na assada, na carne de porco (qualquer uma), no molho vermelho, esse tempero não desmancha. A versão seca endurece nos molhos e pinica na boca! Mas o sabor e perfume que ele deixa nos pratos são excelentes.

Orégano: combinado principalmente com molho vermelho. Pizza com molho vermelho e orégano ganha uma personalidade incrível.

Tomilho: para mim é a versão fresca do orégano porque eles têm sabor e aroma parecidos. Devem ser primos. Não sei ao certo. O que sei é que esse tempero é um coringa. Combina com praticamente tudo: carnes de todos os tipos, molho, sopas, marinados. A carne moída aqui de casa sempre leva tomilho. Uso sempre o fresco.

Pimentas: de qualquer tipo (branca, preta, rosa, calabresa...) também combinam com todo tipo de comida. Devem ser usada com cuidado para não estragar o prato. A pimenta rosa em grãos é excelente com molho de queijo para cobrir o bife, por exemplo. A pimenta calabresa combina com molho vermelho e linguiça. A do reino, moída na hora, deixa a sopa surpreendente.

Cominho: Excelente na kafta, por exemplo. Combina principamente com carne. Faz um excelente par com hortelã.

Páprica, coloral e açafrão brasileiro: esses três pós são perfeitos para dar cor à comida, principalmente, o arroz, o frango ou a batata. Têm sabor suave e quase não interferem no sabor original da comida.

Louro: essencial no feijão e no arroz aqui de casa, louro também faz parte do mistura francesa de ervas. Isso significa que você pode colocar em qualquer carne de panela.

Manjericão: essencial para o molho vermelho, ele muda o espírito do molho.

Molho inglês: É um condimento. Fica perfeito no ovo frito, na omelete, no estrogonofe, em qualquer comida com carne vermelha ou aves.

Todas estas sugestões são meras dicas de como cada ingrediente pode ser usado e em qual prato.

Na reeducação alimentar todos podem ser facilmente adaptados em todos os nossos pratos e refeições.

Você vai adaptar perfeitamente a outros elementos, misturar ervas e temperos, condimentos e especiarias e vai, aos poucos, diminuir o sal.

É claro que, eliminar de vez ele da sua dieta diária é difícil, e eu particularmente, não recomendo.

Mas, só de saber que existem variações das mais diversas já ajuda muito na elaboração da refeição nossa de cada dia.

Bom Apetite!

 

Aproveite também essa receita de sal de ervas

Comentários

RECEBA TODAS AS ATUALIZAÇÕES!

Últimos Artigos

20 receitas zero lactose fáceis e deliciosas

domingo, 6 de novembro de 2016

Reeducação Alimentar para Emagrecer com Saúde

domingo, 6 de novembro de 2016

9 receitas deliciosas, fáceis e sem glúten

domingo, 6 de novembro de 2016

Vamos falar de intolerância a lactose?

domingo, 6 de novembro de 2016

O uso dos temperos na reeducação alimentar

domingo, 6 de novembro de 2016

A dieta líquida e seus benefícios

domingo, 4 de dezembro de 2016

5 receitas de sucos verdes para ajudar no emagrecimento

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dê adeus aos laxantes: 4 receitas de sucos laxativos

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016


2016 - Orgulhosamente desenvolvido com OMB100, criado abaixo de muito café e chimarrão e feito com no Sul do Mundo.